07 novembro, 2011

26 de Outubro - Caixinha Dourada II

 “O amor de Deus está derramado em nossos corações” Romanos 5:5
(Continuação 25/11) O pai quase morreu de vergonha, abraçou a menina e suplicou que ela o perdoasse. Dizem que o homem guardou a caixa dourada ao lado de sua cama por anos e sempre que se sentia triste, chateado, deprimido, ele tomava da caixa um beijo imaginário e recordava o amor que sua filha havia posto ali. De uma forma simples, mas sensível, cada um de nós, temos recebido uma caixinha dourada, cheia de amor incondicional e beijos de Deus, de nossos pais, filhos, irmãos e amigos. Que a cada vez que nos sentirmos desanimados ou tristes possamos nos lembrar que Deus nos ama e familiares e amigos também. Com isso nossas forças se renovarão e a esperança voltará aos nossos corações.
Reflexão Dirigida:
1) O que você costuma fazer quando se sente desanimado(a)?
2) Os chamados “pequenos” gestos de amor na realidade são “grandes”.
3) As pessoas manifestam o seu amor de forma diferente.

25 de Outubro - Caixinha Dourada I

Não endureçais os vossos corações” Salmo 95:8
Um homem castigou sua filhinha de 3 anos por desperdiçar um rolo de papel de presente dourado. O dinheiro andava escasso naqueles dias, razão pela qual o homem ficou furioso ao ver a menina envolvendo uma caixinha com aquele papel dourado e colocá-la debaixo da árvore de Natal. Apesar de tudo, na manhã seguinte, a menininha levou o presente ao pai e disse: “Isto é para o senhor Papai!” Ele sentiu-se envergonhado da sua furiosa reação, mas voltou a “explodir” quando viu que a caixa estava vazia. Gritou dizendo: “Você não sabe que quando se dá um presente a alguém, se coloca alguma coisa dentro da caixa”? A pequena menina olhou para cima com lágrimas nos olhos e disse: “Oh, pai, não está vazia. Eu soprei beijos dentro da caixa. Todos para você papai” (continua amanhã).

24 de Outubro - Acolher e Amparar

 “Enviou-me a restaurar os tristes de coração, a proclamar liberdade aos cativos” Isaías 61:1 
O Instituto Avon realizou nos dois primeiros meses de 2011 a “Pesquisa Sobre a Violência Doméstica Contra a Mulher no Brasil”. Foram entrevistas 1,8 mil pessoas de cinco regiões brasileiras. Com relação a Violência Psicológica Contra a Mulher, da população entrevistada, 62% reconhecem como violência doméstica, as agressões verbais, humilhação, falta de respeito, ciúmes e ameaças. Nesse tipo de violência, o objetivo do agressor é desestruturar a mulher, deixando-a num estado de confusão emocional e mental, e destruir seu acesso a todo tipo de desenvolvimento profissional, pessoal ou social. Enquanto vítimas dessa situação precisamos buscar apoio em familiares e amigos e buscar ajuda especializada. Enquanto familiares, amigos ou conhecidos, que possamos acolher sem julgar; amparar sem criticar e auxiliar a vítima a chegar em locais que possa receber  ajuda efetiva.
Reflexão Dirigida:
1) Leia no Blog a Biografia de Maria da Penha.
2) Busquemos a Deus para nos libertar de uma relação violenta.
3) Divulgue o Tel 180 de atendimento à mulher vítima de violência doméstica.

LEIA TAMBÉM
VIOLÊNCIA  PSICOLÓGICA http://angelscrist.blogspot.com.br/2011/11/violencia-contra-mulher.html