28 abril, 2017

JOGOS COOPERATIVOS COMO CHEGOU AO BRASIL



Fábio Otuzi  Brotto,  mestre em Educação Física e Bacharel em Psicologia, foi o grande pioneiro que introduziu os Jogos Cooperativos no Brasil. Em 1992 criou juntamente com sua esposa Gisela Sartori Franco o “Projeto Cooperação” com o objetivo de difundir por meio de oficinas, palestras, eventos, publicações e produção de materiais didáticos os Jogos Cooperativos. Em 1995 publicou um livro que é o pioneiro na história dos Jogos Cooperativos no Brasil: “Jogos cooperativos: se o importante é competir, o fundamental é cooperar”. Atualmente, o Jogo Cooperativo é encarado com naturalidade. Muito diferente de alguns anos atrás, quando ninguém acreditava em seu potencial, hoje existe um grande interesse em pesquisar e produzir academicamente sobre o assunto.






01 abril, 2017

1 de Abril - Vencendo Relacionamentos Difíceis



  “Eu, Eu mesmo apascentarei as minhas ovelhas, e Eu as farei repousar” Ezequiel 34:15

“Eliana não conseguia se relacionar bem com pessoas gentis, amáveis e mais saudáveis, achando-as aborrecidas e sem graça, pois estava faltando o desafio de ajudar pessoas, o que, como co-dependente, era tão significativo para ela. As pessoas saudáveis se colocariam naturalmente à disposição para servi-la, nutrir seu amor, apoiá-la e estimulá-la positivamente. Mas isso lhe era muito estranho, pois não estava acostumada a tanta atenção, e sim a dar-se sem fim aos outros, e não de receber sua atenção. Como filha de alcóolatra  ela desenvolveu uma grande fascinação pelas emoções  provocadas por pessoas-problema e uma atração extraordinária pela excitação negativa que essas pessoas proporcionam, sem o que a vida lhe parecia sem sentido” (Carlos R. Barcelos, Quero minha vida de volta). Você já viu ou viveu algo parecido? Questões não curadas de nossa infância, particularmente as relacionadas com abuso  e negligência tendem a desenvolver comportamentos compulsivos  que nos levam a repetir  experiências dolorosas do passado. Mas, chega uma hora, em que nos sentimos exaustos de determinadas situações e então clamamos a Deus por socorro. Deus nos ouve e na sua infinita bondade  nos conduz a lugares  e pessoas que irão nos ajudar em nosso processo de cura interior a fim de que nós mudemos interiormente para que possamos mudar as situações. Leia também:





25 fevereiro, 2017

25 de Fevereiro - Voltar a Florir


“Guarda o teu coração porque dele procedem as fontes de vida” Provérbios 4:23

O “Jardim Secreto”,  é um romance em que o autor Frances Burnett  conta a história de Maria, uma menina que vai morar com seu tio rico, em sua propriedade na Inglaterra. Maria conhece Dickon, um menino da classe operária que ama a natureza. As duas crianças descobrem um jardim fechado com uma cerca, que seu tio trancou porque o lembrava da esposa falecida. O jardim parece morto por ter sido negligenciado, mas Dickon assegura a Maria que, com o devido cuidado, ele recuperaria nova vida. Com a ajuda das crianças, o  jardim por fim revive com flores coloridas e perfumadas. Todos nós temos um jardim secreto no coração. Alguns, como ocorre no filme, fecha o jardim do seu coração após ter vivido uma grande dor . Ressentimento e amargura? Decepção e desesperança? É tempo de faxina emocional; tempo de buscar em Deus a coragem de cuidar do que está dentro de nós, preparando assim o nosso coração para voltar a florir.
Reflexão dirigida:
1) Você está cuidando do jardim do seu coração?
2) Cultive as sementes que Deus plantou em seu coração.
3) Remova as folhas mortas do seu jardim interior.

28 janeiro, 2017

28 de Janeiro - Amor em Ação - Mastectomia


“Felizes as pessoas que têm misericórdia dos outros, pois Deus terá misericórdia delas” Jesus  (Mateus 5:7)

As mulheres do Projeto “Atitude do Coração” se reúnem semanalmente em um bairro da cidade de Curitiba, para confeccionar uma almofada em formato de coração, que visa proporcionar conforto às mulheres que se submeteram à cirurgia de mastectomia (retirada da mama), trazendo alívio da dor no local da incisão, ajudando assim a reduzir o inchaço linfático debaixo do braço. Uma das participantes conta que: “Os corações que fazemos para auxiliar mulheres que passaram por mastectomia ajudam na recuperação da fase pós-cirúrgica e também no resgate da autoestima. Os corações são abençoadores! A experiência tem sido totalmente gratificante e motivadora para mim, pois fazer o bem é um presente primeiramente para nós e depois ao próximo. Comprometa-se você também! Uma atitude por vez e você poderá impactar e mudar uma vida, lembrando-se sempre do maior doador de vida: Jesus Cristo”  (Maria da Penha B. Lustosa).
Reflexão dirigida:
1) O bem que espalhamos pelo caminho volta para nós.
2) A compaixão move os corações dos verdadeiros cristãos.
3) Leia também: http://angelscrist.blogspot.com.br/2011/09/jose-carreras.html?m=0