28 junho, 2011

17 de Junho - Livramento

“O Senhor te guiará continuamente” Isaías 58:11
Eu me preparava para viajar para o interior a fim de visitar antigas amigas muito queridas,  que haviam perdido o pai de maneira inesperada e violenta. Eu iria de ônibus na manhã do dia seguinte. Fui orar pedindo a Deus que me desse forças e que eu pudesse levar o Seu consolo em meio a tanta dor. Qual não foi minha surpresa quando a direção de Deus foi para que eu viajasse sim, só que para outro lugar. Fiquei tão impactada, que decidi fazer mais orações ao longo do dia, pedindo confirmação de Deus. Mas, Deus continuava dando a mesma orientação. Mudei meus planos e dois dias depois embarquei num ônibus para o Paraná. Eu não sabia o que eu iria fazer no Paraná, mas a resposta de Deus foi tão clara, que não tinha como não obedecer. Eu pensava: “Se Deus está me mandando ir para Curitiba, ao invés de Bauru, onde havia acontecido uma morte e toda a família estava tão abalada, é porque havia algo mais urgente acontecendo em Curitiba...” (continua amanhã).

16 de Junho - O Nó do Afeto II

“Vocês, mesmo sendo maus, sabem dar coisas boas aos seus filhos. Quanto mais o Pai de vocês que está no céu, dará coisas boas aos que lhe pedirem” Mateus 7:9  
                                                     
“E, para que o filho soubesse da sua presença, ele dava um nó na ponta do lençol que o cobria. Isso acontecia, religiosamente, todas as noites quando ia beijá-lo. Quando o filho acordava e via o nó, sabia, através dele, que o pai tinha estado ali e o havia beijado. O nó era o meio de comunicação entre eles. A diretora ficou emocionada com aquela história singela e emocionante. E ficou surpresa quando constatou que o filho desse pai era um dos melhores alunos da escola” (autor desconhecido). Existem muitas maneiras de um pai ou uma mãe se fazerem presentes. Aquele pai encontrou a sua, simples, mas eficiente. E o mais importante é que o filho percebia, através do nó do afeto, o que o pai estava lhe dizendo. Para que haja a comunicação, é preciso que os filhos “ouçam” a linguagem do nosso coração. A criança pode não entender o significado de muitas palavras, mas sabe registrar um gesto de amor. Mesmo que esse gesto seja apenas um nó. Um nó cheio de afeto e carinho.
Reflexão Dirigida:
1) O amor de Deus para conosco é de pai para filho.
2) Deus nos inspira em como manifestar nosso amor.
3) Nossos gestos transmitem muito mais do que imaginamos.

15 de Junho - O Nó do Afeto

“Que tudo o que vocês fizerem seja feito com amor” 1 Coríntios 16:14
“Em uma reunião de Pais, numa Escola da periferia, a diretora ressaltava o apoio que os pais devem dar aos filhos. Pedia-lhes, também, que se fizessem presentes o máximo de tempo possível. Ela entendia que, embora a maioria dos pais e mães daquela comunidade trabalhasse fora, deveriam achar um tempinho para se dedicar a entender as crianças. Mas a diretora ficou muito surpresa quando um pai se levantou e explicou, com seu jeito humilde, que ele não tinha tempo de falar com o filho, nem de vê-lo durante a semana. Quando ele saía para trabalhar, era muito cedo e o filho ainda estava dormindo. Quando ele voltava do serviço era muito tarde e o garoto não estava acordado. Explicou, ainda, que tinha de trabalhar assim para prover o sustento da família. Mas ele contou, também, que isso o deixava angustiado por não ter tempo para o filho e que tentava se redimir indo beijá-lo todas as noites quando chegava em casa...” (continua amanhã).