17 dezembro, 2011

12 de Dezembro - Saudade

 “Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas” Salmo 42:5
Que nome dar ao vazio nostálgico, dolorido e bom que invade a nossa alma e toma conta do momento? Essa viagem que fazemos sem malas e documentos e que nos leva e nos trás, cheios de amor e de não sei o quê? Saudade... que não escolhe hora ou lugar, e aparece assim como um passarinho que pousa em nosso coração. Mas, se existe saudade é porque existem sementes de ternura plantadas em nós; pedacinhos de coisas boas, que talvez nem tenham durado muito tempo, mas o suficiente para deixar um rastro; um sabor; uma marca; um perfume. A saudade é uma prova, um certificado carimbado e assinado embaixo de que não estamos inteiramente sós e nem vazios, pois temos um coração rico em histórias que nos farão rir sozinhos e nos sentir vivos. Aprendemos assim, que sentir saudades é respirar o amor que plantaram em nós e viver repletos desse amor para a vida toda. (Letícia Thompson)
Reflexão Dirigida:
1) Mantenha as boas recordações em seu coração e descarte as más.
2) Quem nos feriu e magoou não merece estar em nosso coração.
3) Aquele que não sente saudades jamais amou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por postar um comentário! Esse blog ficará mais rico em informações após sua contribuição.