18 março, 2009

REDE DE LUZ 2009 - 16 de março


“Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti?” Mateus 18:33

“Perguntei num tom suave: "Pelo que você quer que eu ore?”. Um homem respondeu bem alto: “A dor! A dor! Oh, a dor! Não posso suportar a dor!” Coloquei um dos braços em volta do homem que estava com dor, segurei firme a mão de outro paciente ao meu lado e comecei a derramar o coração diante de Deus. Ao término da oração nossa equipe instintivamente estendeu os braços para eles, que representavam vários estágios da AIDS. Nossas lágrimas se misturaram com as deles, nossos braços se confundiram com os deles, e eles se aproximaram de nós bebendo o conforto do toque físico. Aprendi que os doentes em geral estão ansiosos por um toque físico. Um braço colocado em volta dos ombros, um beijo na bochecha ou na testa, um aperto de mão caloroso: são essas coisas que fazem com que eles saibam de forma concreta que são amados e que tem valor e importância.” (Rendição Arriscada – Kay Warren). Essa experiência foi vivida em um hospital na África. Mas, sem precisarmos ir tão longe, temos a nossa volta, inúmeras oportunidades de levar conforto e esperança a todos que sofrem. Abra o seu coração e deixe que o amor de Deus se manifeste de forma concreta através de você; não evite os doentes, nem fuja dos hospitais, pois para os sofredores a sua chegada será sempre como um facho de luz e esperança a tocá-los.


Reflexão dirigida:

1) Agradeça todos os dias pelo dom precioso da sua saúde.

2) Ore por todos que trabalham em hospitais e convivem diariamente com o sofrimento.

3) Seja um mensageiro da esperança para todos os que sofrem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por postar um comentário! Esse blog ficará mais rico em informações após sua contribuição.